Connect with us

O que procura?

SPMI emite medidas de prevenção para grávidas

O Núcleo de Estudos de Medicina Obstétrica (NEMO) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) acaba de emitir um documento com medidas de prevenção para grávidas em tempos de COVID-19.

• O risco de infeção na grávida parece ser semelhante ao da população em geral.

• Pouco ainda se sabe sobre a transmissão ao feto, mas parece ser reduzida.

• Não há evidência de que o vírus passe o leite materno e os benefícios da amamentação superam o risco potencial de transmissão COVID-19.

• Mães que amamentam devem tomar todas as possíveis precauções para evitar a transmissão. Lavar as mãos frequentemente e usar máscara facial.

• Não há evidência de que após o parto, uma mulher com COVID-19 deva ser separada do seu filho. O impacto da separação parece ser mais prejudicial do que o risco de infeção.

• As grávidas devem evitar contactos desnecessários com os serviços de saúde, contudo, devem cumprir as vigilâncias de acordo com a DGS, nomeadamente as ecografias.

• As grávidas deverão ser instruídas pelos médicos assistentes sobre os sinais de alarme da eventual agudização de uma patologia de base, e dos motivos que as levam a contactar a Linha SNS 24 ou o INEM.

• Deve existir especial cuidado com o bem-estar mental e, se necessário, contactar uma linha de apoio psicológico.

• Se a situação clínica o justificar, é aconselhável que a grávida não rejeite exames de imagem como radiografia ou TC torácicas. É recomendável o uso de proteção individual.

• Sintomas isolados, nomeadamente febre, devem ser submetidos a avaliação clínica para descartar outras causas.

Devem ser adotadas medidas que reduzam o risco de infeção e contágio:

o Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete durante pelo menos 20 segundos.
o Usar um desinfetante para as mãos à base de álcool, como álcool em gel.
o Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
o Evitar contacto próximo com pessoas doentes.
o Cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar com um toalhete e de imediato deitar fora.
o Limpar e desinfetar objetos e superfícies manipuladas com frequência.
o Usar máscara quando apropriado.

Mais Lidas

Notícias relacionadas

Entrevistas

Monitorização digital à distância através de uma pulseira, esclarecimento e apoio à distância na utilização de ventiladores e partilha de formações rápidas em COVID-19....

Entrevistas

A crise pandémica que o país atravessa surtiu consequências diretas nos cuidados de saúde, uma vez que estes foram obrigados a mudar as suas...

Investigação

Leung N et al. publicaram na Nature Medicine que os aerossóis são um modo potencial de transmissão de coronavírus e que as máscaras cirúrgicas...

Atualidade

O pneumologista e coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos, o Prof. Doutor Filipe Froes, mostra-se dececionado com a postura da Organização...